× Fale Conosco

Solicite um orçamento sem compromisso!

Enviar via
Ou ligue para (41)99972-2207
Se preferir, ligue para nós! Ligar agora!
Clique aqui para falar conosco!
×
× Envie-nos um E-mail

    Quais são os principais riscos de acidente de trabalho?

    Prevenir os riscos de acidente de trabalho é estar comprometido com a integridade física e mental dos funcionários e de todos aqueles que podem sofrer as consequências de um acidente. Além de todas as questões empresariais, direitos trabalhistas, responsabilidade social e/ou ambiental, para evitar o acidente de trabalho, o empregador precisa também estar atento aos riscos que o ambiente, as máquinas e a própria atividade laboral em si podem oferecer aos seus colaboradores.

     

    Neste texto, vamos apresentar quais ações podem ser adotadas a fim de prevenir riscos e, consequentemente, evitar acidentes no ambiente de trabalho.

     

    Quais são os riscos no ambiente de trabalho?

     

    Há vários tipos de riscos. Cada empresa deve focar naquele mais próximo do seu ramo de atividade. Dentre os riscos existentes, destacamos:

     

    • Risco físico (umidade, frio, calor, vibrações etc.);
    • Risco químico (gases, vapores, fumos etc.);
    • Risco biológico (fungos, bactérias, vírus etc.);
    • Risco ergonômico (postura inadequada, jornada de trabalho extensa, movimentos repetitivos etc.);
    • Risco de acidentes causados por uma série de fatores (não usar EPIs ou fazer o uso inadequado, a não disponibilização de EPC, falta de manutenção das máquinas e equipamentos etc.).
    • Concluímos, então, que risco é qualquer possibilidade que expõe o funcionário a um acidente de trabalho. Ele está relacionado diretamente ao ambiente de trabalho ou à atividade exercida.

     

    Qual a definição de um acidente de trabalho?

     

    De acordo com o artigo 19 da Lei nº 8.213/91, “acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho”.

     

    No artigo seguinte, o de número 20, são abordadas, também, as doenças causadas pelo trabalho. Elas se dividem em dois tipos:

     

    • Doença profissional: causada pela atividade laboral.
    • Doença do trabalho: aquela que se relaciona com as condições em que o trabalho é realizado.

     

    Embora recebam o nome de “doença”, ambas são consideradas como acidente de trabalho visto que acontecem pelo exercício dele.

     

    Correta identificação dos riscos

     

    Para atender a diversos públicos, escolhemos falar dos riscos de uma forma mais ampla. O que não impede que, a partir do conhecimento aqui exposto, você se especialize sobre os riscos mais presentes no segmento da sua empresa.

     

    Dito isso, evidenciamos que para prevenir acidentes, a primeira ação a ser tomada é a de identificar quais os riscos o ambiente de trabalho, as máquinas e ferramentas e as atividades exercidas oferecem aos funcionários.

     

    É importante que essa identificação seja o primeiro passo, pois é a partir dela que serão pensadas maneiras e ações que terão como objetivo garantir a saúde e a segurança de todos os envolvidos.

     

    Neste momento, é preciso ter bastante atenção e um pensamento amplo sobre tudo que pode acontecer. Registre tudo que for percebido, pois esse momento é o início de um outro grande passo: o do planejamento.

     

    Medidas de prevenção

     

    Após o primeiro passo, é hora de planejar e de criar medidas de segurança para que não haja a efetivação do que foi percebido.

     

    Todos os riscos que foram identificados devem ter medidas que possam evitá-los e/ou ações que devem ser tomadas caso eles se concretizem. Essa etapa é fundamental e extremamente importante, porque dela serão criados treinamentos e atualizações sobre a segurança do local e/ou da execução da atividade.

     

    O documento fruto dessa etapa pode se tornar um guia para todos os funcionários da empresa.

     

    A prevenção de riscos é um longo caminho, pular qualquer passo pode resultar em um grande tropeço! Não desconsidere nenhum passo!

     

    Dicas para prevenir os riscos

     

    Somado aos dois passos citados nos tópicos anteriores, vamos listar algumas medidas que são cruciais para impedir que os riscos se convertam em acidentes de trabalho.

     

    Mais uma vez, ressaltamos que tais medidas não se esgotam aqui e merecem ser associadas a várias outras. Porém, elas são um ótimo ponto de partida para a prevenção dos riscos. São elas:

     

    Treinamento e atualização dos funcionários

     

    Inicialmente, a empresa identificou e planejou medidas para prevenir os riscos, certo? Pois bem. Em seguida, o ideal é que todos eles sejam expostos para os colaboradores bem como a forma encontrada para preveni-los e quais posturas devem ser adotadas se algum desses riscos forem efetivados.

     

    Será pouco útil os passos iniciais se aqueles que atuam em contato direto com os riscos não tiverem acesso ao conhecimento catalogado.

     

    Manutenção de máquinas e equipamentos

     

    Empresas que possuem máquinas e equipamentos devem fazer a manutenção periódica para não comprometer o funcionamento desses itens.

     

    A falta de manutenção compromete não apenas a qualidade do trabalho, mas pode ser o principal motivo de um acidente de trabalho. Evite que isso aconteça seguindo as orientações do fabricante/técnico sobre o intervalo de manutenção/revisão.

     

    Uso de equipamentos de segurança

     

    O uso de Equipamento de proteção individual (EPI) e de Equipamento de Proteção Coletiva não podem ser descartados. Essa também é uma maneira muito eficaz de prevenir riscos.

     

    Fala-se muito sobre os EPIs (óculos, luvas, botas, protetor auricular etc.) e dão pouco destaque para os EPCs. Esses, como o próprio nome já sugere, são equipamentos disponibilizados para o coletivo. Alguns desses EPCs protegem diretamente, enquanto outros informam e, consequentemente, protegem.

     

    Como cones, placas que informam que o piso está molhado, correntes de interdição de locais, sinalização de perigo etc.

     

    Por isso, o treinamento dos funcionários se torna muito importante. Por exemplo: o funcionário da limpeza precisa ter noção da responsabilidade de sinalizar um piso molhado para que, caso alguém circule por aquele espaço, identifique a sinalização e evite circular por ali.

     

    Essa é uma atitude que acontece fruto de um processo que se inicia no primeiro passo citado por nós.

     

    Sintetizando as dicas, afirmamos que a maneira de prevenir os riscos está nas palavras planejamento e ação.